sábado, 10 de julho de 2010

Classificações Climáticas

 O clima é um padrão dos diversos elementos atmosféricos que ocorrrem na Terra. Fenômenos como frente frias, tempestades, furacões e outros estão associados tanto às variações meteorológicas preditas pelas leis físicas determinísticas, assim como a um conjunto de variações aleatórias dos elementos meteorológicos como temperatura, precipitação, vento, humidade e pressão do ar, cuja principal ferramenta de investigação é a estatística.
 Com isso, vamos conhecer algumas classificações climáticas usadas no mundo.

                             Classificação climática de Köppen

 É o sistema de classificação global dos tipos climáticos mais utilizada em geografia, climatologia e ecologia. A classificação é baseada no pressuposto, com origem na fitos sociologia e na ecologia, de que a vegetação natural de cada grande região da Terra é essencialmente uma expressão do clima nela prevalecente. Assim, as fronteiras entre regiões climáticas foram selecionadas para corresponder, tanto quanto possível, às áreas de predominância de cada tipo de vegetação, razão pela qual a distribuição global dos tipos climáticos e a distribuição dos biomas apresentam elevada correlação. Na determinação dos tipos climáticos são considerados a sazonalidade e os valores médios anuais e mensais da temperatura do ar e da precipitação. Estrutura: A classificação climática de Köppen divide os climas em 5 grandes grupos sendo eles A, B, C, D, E e diversos tipos e subtipos. Cada clima é representado por um conjunto variável de letras com 2 ou 3 caracteres com a seguinte formação

  • Primeira letra: uma maiúscula seja A, B, C, D ou E que denota a característica geral do clima de uma região, constituindo o indicador do grupo climático.

Acompanhe no quadro abaixo o significado das primeiras letras 



  • Segunda letra: uma minúscula, que estabelece o tipo de clima dentro do grupo, e denota as particularidades do regime pluviométrico, isto é a quantidade e distribuição da precipitação isso apenas utilizada caso a primeira letra seja A, C ou D. Nos grupos cuja primeira letra seja B ou E, a segunda letra é também uma maiúscula, denotando a quantidade da precipitação total anual no caso de B ou a temperatura média anual do ar no caso E.

Acompanhe no quadro abaixo o significado das segundas letras



  • Terceira letra: outra minúscula, denotando a temperatura média mensal do ar dos meses mais quentes, nos casos em que a primeira letra seja C ou D ou a temperatura média anual do ar no caso da primeira letra ser B.

Acompanhe no quadro abaixo o significado das terceiras letras


Sendo assim, veja como fica a classificação climática mundial segundo Köppen


                      

                       Classificação climática de Strahler 

 De acordo com a classificação climática de Arthur Strahler, predominam no Brasil cinco grandes climas, que são:
  • Clima equatorial úmido da convergência dos alísios, que engloba a Amazônia;

  • Clima tropical alternadamente úmido e seco, englobando grande parte da área central do país e litoral do meio-norte;

  • Clima tropical tendendo a ser seco pela irregularidade da ação das massas de ar, englobando o sertão nordestino e vale médio do rio São Francisco; e

  • Clima litorâneo úmido exposto às massas tropicais marítimas, englobando estreita faixa do litoral leste e nordeste;

  • Clima subtropical úmido das costas orientais e subtropicais, dominado largamente por massa tropical marítima, englobando a Região Sul do Brasil.


Acompanhe o mapa
 
 
 
 Quanto aos aspectos térmicos também ocorrem grandes variações. Como pode ser observado no mapa das médias anuais de temperatura a seguir, a Região Norte e parte do interior da Região Nordeste apresentam temperaturas médias anuais superiores a 25°C, enquanto na Região Sul do país e parte da Sudeste as temperaturas médias anuais ficam abaixo de 20°C.
 
 
 
 
 
              
               Classificação climática de Thornthwaite
 
 É um sistema de classificação climática criado por Charles Warren Thornthwaite, no qual o fator mais importante é a evapotranspiração potencial e a sua comparação com a precipitação que são típicas de uma determinada área. Com base nesses dados, são calculados vários índices. O índice de umidade total (MI) é usado para classificar o clima numa escala de umidade que vai do seco (MI entre -110 e -66) ao muito húmido (com MI superior a 100). Outro dos índices de Thornthwaite, o índice de eficiência térmica, é usado para classificar os climas entre megatérmico e gelado. Ambos estes índices dividem os climas em 9 classes climáticas diferentes.
 
Veja abaixo as 9 classes



 
                               Classificação climática de Flohn



 A classificação climática que Hermann Flohn propõe em 1950 é uma das poucas que tem uma componente genética, isto é, se fundamenta na movimentos da atmosfera, em lugar de em o estado médio de temperaturas e precipitações. As características dos climas dependem dos grandes cintos de vento do planeta e nas precipitações. Estes cintos mudam sua posição ao longo do ano devido ao balanço estacional. Assim, divide os climas em dois tipos, aqueles nos que todo o ano estão dentro de um mesmo sistema de ventos, climas homogéneos, e aqueles que estão submetidos às variações do sistema de ventos, climas heterogéneos.

Flohn distingue sete zonas climáticas:

1. Zona equatorial de ventos do oeste. Sempre húmida

2. Zona tropical de ventos alisios em verão. Com precipitação em verão

3. Zona subtropical seca de ventos alisios ou cinto de altas pressões tropicais. Seco todo o ano

4. Zona subtropical de chuvas invernais. Com precipitação em inverno

5. Zona temperada dos ventos do oeste ao longo de todo o ano. Com precipitação moderada repartida durante de todo o ano

6. Zona subpolar de ventos do este em verão. Com precipitação importante ao longo do ano

7.Zona polar de ventos do este. Com precipitação débil todo o ano
                       

                      Classificação climática de Budyko



 A classificação climática que de Mijail Budyko propõe em 1956 está baseias no balanço de energia, que se substância na sequedad da atmosfera. É uma classificação bastante singela, e mediamente difundida.

 Para estabelecer os critérios do clima usa o índice racional de sequedad (Vão), que calcula assim: onde:Rn é a radiação neta disponível para a evaporacão de uma superfície húmida (considerando um albedo de 0,18), L é o calor latente de evaporación e r é a precipitação média anual. Se o Vão é inferior a 1 estamos ante um clima húmido, se é superior ante um clima seco. Budyko estabelece, desta maneira cinco tipos climáticos.



1. Deserto Vão superior a 3

2. Semidesierto Vão entre 2 e 3

3. Estepe Vão entre 1 e 2

4. Bosque Vão entre 0,33 e 1

5. Tundra Vão inferior a 0,33


2 comentários:

  1. Diogo e Caio
    Na classficação climática de Köepen ficou bem explicados os criterios de classificação.
    Na classificação de Strahler ficou faltando explicitar o critério utilizado por Stralher para classificar os climas.
    Muito boa a pesquisa das classificações encontradas do Thornthwaite,Budyko,Flohn. Além de estarem bem explicadas.
    Nota: 9,0

    ResponderExcluir
  2. muito bacana garoto, usei seu blog para estudar para uma prova de climatologia.obrigada por me ajudar.

    ResponderExcluir